TEM JEITO

EDUCAÇÃO PÚBLICA DE QUALIDADE PARA TODOS

 

 

Só podemos sonhar com um futuro promissor para o Brasil se a educação pública de qualidade para todos for a nossa prioridade absoluta. A única maneira de tornar este sonho possível é com a minha, a sua, a participação todos nós.

 

Acreditamos que todos os outros problemas do país, como política, cidadania, democracia, saúde, segurança, cultura, economia, corrupção, intolerância, passam pela educação pública. Assim nasce o movimento #TemJeito, que vai apresentar, em uma série de minidocumentários filmados em todo o Brasil, exemplos inspiradores de escolas que engajam suas comunidades. E de territórios que abraçam a missão de educar crianças e jovens como uma responsabilidade coletiva.

O nosso objetivo é provocar uma enxurrada de novas ideias para serem colocadas em prática agora mesmo!

Queremos fazer você se entusiasmar e nos ajudar a construir um projeto abrangente, inclusivo e participativo, capaz de garantir um futuro melhor para o país.

TEM JEITO éum documentario-pesquisa de 70 minutos que aborda a participação comunitária na educação pública brasileira. De caráter inspiracional, o filme levanta uma série de histórias vivas sobre o envolvimento de cidadão comum com a educação pública, um dos principais desafios para o futuro do país. E apresenta exemplos práticos de educação pública de qualidade para todos.

Com base na experiencia da Associação Nova Escola, serão selecionadas, dentre as centenas de escolas públicas espalhadas pelo Brasil, as 20 que melhor representam a ampla tipologia de maneiras de atuar no desenvolvimento do ensino público, com casos que incluem ações culturais, comunitárias, sociais, de esporte, questões que envolvem segurança pública, saúde, religião, entre outras.

A partitura documental a ser utilizada éo material jornalístico e os personagens jáaborados e retratos pelas diversas acões da Nova Escola, que servirão de ponto de partida para o mergulho do Leonardo Brant, diretor do filme, e sua equipe sobre a realidade local. Ali serão  descobertos novos personagens, locações e situações que revelam o que não está no script.

O projeto abrange, além do filme, uma websérie em 21 episódios, um sobre cada território abordado. Os seguintes elementos narrativos darão conta de criar a história sobre a participação do público na educação brasileira:

  • Entrevistas performáticas: condutores narrativos para cada território, que explora os ambientes, cenários e particularidades locais, que contam a história de participação dos diversos agentes comunitários envolvidos.

  • Povo fala: série de depoimentos de professores, pais, alunos, agentes comunitários e representantes locais para entender a opinião pública sobre a a relação escola-comunidade.

  • Especialistas: acadêmicos, pensadores e personalidades do mundo da educação avaliam a situação do país e apontam caminhos para uma maior participação da sociedade na educação.

  • Exploração visual do território: o diretor pretende criar ensiaios cinematográficos a partir de três olhares complementares: o da águia, visto de cima, com uma visão ampla e global sobre o fenômeno; o felino, que apresenta o detalhe de situações que podem revelar o modo de vida, o cotidiano e as pecualiaridades daquele território; e a serpente, uma câmera solta, misturada com os personagens e situações vividas pela comunidade.

  • Geolocalização: com o objetivo de localizar a experiência local, o filme traz animações com imagens via satélite, que compõem com o olhar da águia, realizada por drone.

  • Trilha sonora: a diversidade musical brasileira em ritmos, sonoridades e climas dramáticos para cada realidade.

  • Voice over: a síntese do olhar dos narradores sobre a realidade observada éexplicitada por textos concisos do próprio diretor.

©2019 by Leonardo Brant

  • YouTube
  • Instagram
  • Facebook
  • Twitter